Sacrifico de Animais

sacrificio animais

O Cansua D`Oya não realiza rituais que envolvem sacrifícios de animais. Esta restrição ritualística fundamenta-se nos princípios , que pregam a preservação e o desenvolvimento da Vida, seguindo as Leis de total respeito à Natureza e a todos os seres que dela fazem parte. Dentro da minha filosofia ser Umbandista é amar a Vida. A prática de ritos que, directa ou indirectamente, atentam contra a Vida, será sempre  incoerente com a Filosofia que o Cansua D`Oya pratica. No entanto, a posição do Cansua D`Oya diante das tradições que praticam rituais com sacrifícios de animais é de profundo respeito. Isto porque conhecemos bem a forma sagrada de como tais animais são abatidos.

No Candomblé, o sacrifício de animais é praticado pelo Axogun ou pelo Babalorixá,  sendo que  cada animal sacrificado é previamente submetido a ritos que dignificam o ato. À Natureza são oferecidos os “Axés”, e à comunidade o alimento. As partes do animal que são oferecidas aos Orixás correspondem a rigorosos preceitos litúrgicos. O restante é ofertado aos participantes e consumido durante as festas de encerramento. O couro dos animais quadrúpedes,  são  utilizados para a confecção de instrumentos musicais. No Candomblé o sangue não apenas é vida, pois possui uma energia elementar. O sangue e as vísceras dos animais tem o objectivo de produzir axé, energia vital. Apesar disto, há seguidores do Esta tradição milenar é originária de uma época onde Deus, o Homem e a Natureza integravam a mesma “mesa” e partilhavam o mesmo “banquete”.

Sabemos que esta será sempre uma questão polémica para muitos. Efectuam-se grandes banquetes, em momentos festivos, com mesas fartas de pratos confeccionados pelo homem com diversos animais e aves, sem que tenha havido qualquer critério de abate e estas são aceites pela sociedade. Porque as festas realizadas pelo Candomblé não haveriam de ter a mesma fartura, porém com animais sacralizados? Sabendo que este é um tema polémico,pretendo apenas propor aos mais radicais uma reflexão, isenta de preconceito, discriminação e hipocrisia, deixando no entanto bem claro que dentro da minha filosofia Umbandista não se sacrifica animais.

Axé

Mãe Vanda D’Oyá

Last updated: 2016-07-21