Ewá

Ewá (9)

Ewá, divindade do rio Yewa, que fica na antiga tribo Egbado (atual cidade de Yewa) no estado de Ogun na Nigéria, também conhecido  como Ìyá Wa Orixá, sendo identificada no Jogo de Búzios pelo odú obeogundá.

Assim como Yemanjá e Oxum, também é uma divindade feminina das águas e, às vezes, associada à fecundidade. É reverenciada como a dona do mundo e dona dos horizontes.

Em algumas lendas aparece como a esposa de Oxumarê e pertencendo a ela a faixa branca do arco-íris, em outras como esposa de Obaluaiê ou Omulu.

Embora Ewá, viva no rio Yewa, a sua origem cria alguma polémica, pois há quem defenda que à semelhança de Oxumarê, Nanã, Iroko e Omulu, Ewá era cultuada inicialmente entre os Mahi, sendo assimilada pelos Iorubás, e integrada em seu panteão.

Havia um Orixá feminino, oriundo das correntes de Daomé, chamado Dan, sendo que a força desse Orixá , estava concentrada em uma cobra que engolia a própria cauda, o que denota um sentido perpetua da própria vida, pois o circulo nunca acaba. Ewá seria a ressignificação de Dan, ou uma das metades, visto a outra metade pertencer a Oxumare.

Existe no entanto quem defenda que Ewá já existia, pertencendo a mitologia Nagô, sendo originaria da cidade Abeokutá, estes certamente por desconhecerem o panteão Jeje, no qual o vodun Eowa, da família Danbirá, seria o correspondente da Ewá dos Nagô, –confundem Ewá com uma qualidade de Yemanja, o que está errado visto Ewá ser um Orixá independente, não estando no entanto a sua origem esclarecida entre os Jeje, já que respeitados templos de Jeje, afirmam que Eowa, é Nagô.

Ewoa, era uma cobra muito má e por isso foi mandada embora, tendo encontrado abrigo entre os Iorubas, que a transformaram numa cobra boa e bela, a metade Feminina de Oxumarê.

Ewá, é um Orixá pouco cultuado na Umbanda, assim como atualmente no candomblé, em que as obrigações a este grande Orixá tem vindo a diminuir, devido à complexidade do seu ritual.  Atualmente existe a tendência de “fundir”, os filhos de Ewá a  Oxum, dadas as semelhanças entre estas duas Orixás (vaidade, beleza,sensibilidade,romantismo,alegria,etc) e assim, muitas das obrigações que se tem feito para os filhos de Ewá, são na realidade obrigações para Oxum.

Verifica-se de facto estas semelhanças, no entanto existem também grandes diferenças(menor foco e interesse sexual, impulsividade,personalidade mais instável,menos estratégica, mais vingativa, etc), entre Ewá e Oxum, pelo que é fundamental, que se resgate a importância deste Orixá, e assim se dê a Ewá os seus filhos, até porque é uma mãe maravilhosa.

Em alguns cultos consideram Ewá,como uma qualidade de Oxum, Yemanjá ou até mesmo Yansã, mas Ewá é um Orixá específico, e quando comparado, bem diferente das restantes Iabás.

Orixá que protege as virgens e tudo que é inexplorável. Ewá tem o poder da vidência, Sra. Do céu estrelado rainha dos cosmos. Ela está o lugar onde o homem não alcança.

Ewá tem sincretismo, com Santa Luzia, Protetora dos olhos, e seu dia festivo é dia 13 de Dezembro.

Seu símbolo é o arpão, pode também carregar um ofá dourado, uma espingarda ou uma serpente de metal. Às vezes, Ewá é considerada a metade mulher de Oxumarê, a faixa branca do arco-íris. Ela é representada também pelo raio do sol, pela neve, pelo sumo branco das folhas pelo sêmen e pela saliva. Ewá é o horizonte , o encontro do Céu com a terra . O encontro do céu com o mar

As palmeiras com folhas em leque também simbolizam Ewá – exótica, bela, única e múltipla.

Na verdade ela mantém fundamentos em comum com Oxumarê, inclusive dançam juntos, mas não se sabe ao certo se seria a porção feminina, sua esposa ou filha.

Quando cultuada na nação Keto, Ewá dança, ilu, hamunha e aguerê, Na cultura jêje, onde suas danças são impressionantes, prefere o bravun e o sató e dança acompanhada de Oxumarê, Omolu e Nanã.

Nas festas de Olubajé, Ewá não pode ser esquecida, deve receber seus sacrifícios, e no banquete não pode faltar uma de suas comidas favoritas; banana-da-terra frita em azeite.

Características

Cor Carmim , Vermelho vivo, Rosa
Fio de Contas Vermelho raiado com Amarelo, vermelho intercalado com amarelo
Ervas Arrozinho, baronesa (alga ), golfão.
Símbolo Ejô ( cobra ) e espada , Ofá ( lança ou arpão )
Pontos da Natureza Linha do Horizonte. (Recebe oferendas em rios e lagos).
Flores flores brancas e vermelhas
Pedras Onix, Esmeralda,
Metal Ouro, prata e cobre
Saúde problemas respiratórios e intestinais
Dia da Semana Sábado
Elemento Água
Saudação Hihó (Rirró)
Bebida Champanhe
Animais Sabiá
Comidas Banana inteira feita em azeite de dendê com farofa do mesmo azeite (milho com coco, batata doce, canjiquinha)
Data Comemorativa 13 de dezembro
Sincretismo Nossa Senhora das Neves , Santa Luzia
Incompatibilidades Galinha, Aranha, Teia-de-aranha
Qualidades: Ewá Gebeuyin, Ewá Gyran, Ewá Awò, Ewá Bamio, Ewá Fagemy, Ewá Salamim,

Ewá, Orixá que transforma a água líquida em gasosa, gerando as nuvens e a chuva. Divindade do canto, da alegria; Senhora das transformações orgânicas e inorgânicas; Deusa da mutação, de belas transformações; traz a harmonia,  divindade de raro encanto e beleza.

Características dos filhos de Ewá

Pessoas de beleza exótica, diferenciam-se das demais justamente por isso. Possuem tendência a duplicidade: Em algumas ocasiões podem ser bastante simpáticas, em outras são extremamente arrogantes; às vezes aparentam ser bem mais velhas ou parecem meninas, ingênuas e puras. Apegadas à riqueza, gostam de ostentar, de roupas bonitas e vistosas, e acompanham sempre a moda, adoram elogios e galanteios.

São pessoas altamente influenciáveis, que agem conforme o ambiente e as pessoas que as cercam, assim, podem ser contidas damas da alta sociedade quando o ambiente requisitar ou mulheres populares, falantes e alegres em lugares menos sofisticados. São vivas e atentas, mas sua atenção está canalizada para determinadas pessoas ou ocasiões, o que as leva a desligar-se do resto das coisas. Isso aponta uma certa distração e dificuldades de concentração, especialmente em atividades escolares.

Desobediente e um pouco teimosa, sente-se bem quando fantasia a realidade, pois faz com que sua vida não fique tão monótona. Adora perigos e viagens de última hora.
Pode ter sérios problemas quando atinge a velhice. Enquanto isso não acontece, viver é o melhor verbo para ela.
Na verdade são trabalhadoras como as filhas de Yansã, são ótimas esposas e maridos.As características negativas, acentua Barcellos, é que como as filhas da Oxum, são dadas às falsidades e à intrigas. Pegando algumas características ruins de Yansã, podem ser fofoqueiras, e dadas a ver o circo pegar fogo. Não costumam obedecer a ninguém, podem ser malcriadas, e quando recolhidas, tornam-se inconvenientes, impertinentes e desagradáveis (Barcellos).

Axé

Mãe Vanda D’Oyá

Last updated: 2016-09-20