Crianças

crianças

São a alegria que contagia a Umbanda.

Descem nos terreiros simbolizando a pureza, a inocência e a simplicidade. Os seus trabalhos  resumem-se em brincadeiras e divertimentos,podendo pedir-lhes qualquer ajuda, fazer confidências, ou, mexericos, mas nunca com a intenção de prejudicar alguém, pois eles, tal como as outras entidades da Umbanda não atendem pedidos dessa natureza, pois muito embora sejam crianças sabem perfeitamente diferenciar o bem do mal.

São espíritos que já estiveram encarnados na terra e que optaram por continuar a sua evolução espiritual através da prática de caridade, incorporando em médiuns nos terreiros de Umbanda. São estes na maioria, espíritos que desencarnaram com pouca idade (terrena), por isso trazem características de sua última encarnação, como o trejeito e a fala de criança, o gosto por brinquedos e doces.

Estes, tais como os outros servidores dos Orixás, tem funções bem específicas, e a principal delas é a de mensageiro dos Orixás, sendo extremamente respeitados pelos caboclos e pelos pretos-velhos.

Exactamente como acontece no plano terreno, também no plano espiritual, a criança tem sempre que ser tutelada. Nos seus Amalás, têm a excepção de ser utilizado açúcar.

Nos terreiros de Candomblé, são conhecidos como (ÊRES ou IBEJI). Na representação nos pontos riscados,o Ibeji é livre para utilizar o que melhor lhe aprouver. A linha de Ibeji é tão independente quanto a linha de Exú.

Ibeijada, Erês, Dois-Dois, Crianças, Ibejis, são esses vários nomes para essas entidades que se apresentam de maneira infantil.

Existem assim grandes diferenças entre as crianças da Umbanda e os Erês no Candomblé. No Candomblé, os Erês, têm normalmente nomes ligados ao dono da coroa do médium. Para os filhos de Obaluaiê, Pipocão, Formigão, para os de Oxossi, Pingo Verde, Folinha Verde, para os de Oxum, Rosinha, para os de Yemanjá, Conchinha Dourada , etc, enquanto que na Umbanda, eles assumem nomes comuns, como: Rosinha, Mariazinha, Ritinha, Pedrinho, Paulinho, Zezinho,Cosminho, etc…

As crianças de Umbanda comem bolos, balas, refrigerantes, normalmente guaraná e frutas.

Quando incorporadas em um médium, gostam de brincar, correr e fazer brincadeiras (arte) como qualquer criança, sendo necessária a atenção especial dos médiuns conscientes, para que não se deixem levar pelas brincadeiras e as mensagens a ser transmitidas possam sofrer alterações. Tendo estes uma incorporação mais activa ou mais calma, geralmente incorporam pulando e gritando, outros descem chorando, outros estão sempre com fome, etc, no entanto estas características, são sempre formas que eles têm de exercer uma função específica, como a de descarregar o médium, o terreiro ou alguém da assistência. No entanto em suas consultas não gostam de desmanchar demandas, nem de fazer desobsessões, pois preferem que no decorrer das mesmas ir trabalhando com seu elemento de ação sobre o consulente, modificando e equilibrando a sua vibração, regenerando os pontos de entrada de energia do corpo humano.

Dada a sua pureza e perspicácia, identificam rapidamente as falhas humanas, sendo comum que se repitam constantemente a fim de nos alertar sob estas falhas.2

Os pedidos feitos a uma criança incorporada normalmente são atendidos de maneira bastante rápida. O dia festivo dos Ibeiji, corresponde ao dia festivo de Cosme e Damião, ou seja  27 de Setembro, dada a associação que tem com estes enquanto trabalhadores com a magia dos elementos.

Axé

Mãe Vanda D’Oyá

Last updated: 2019-09-20